Publicidade

Luís Cardoso – Bastidores da notícia

Bastidores de notícias de política, judiciário, crime e esportes.

Busca em todo o site

Mais uma vez o titular do blog é injustiçado; agora pelo MPF-MA

Política
 

A procuradora da República, Thayná Oliveira, despachou à Justiça Federal do Maranhão parecer contra a devolução de um automóvel apreendido em meu poder pela Polícia Federal no dia da deflagração da operação Turing, em São Luís.

Por entender que o veículo seja de minha propriedade, ela pede que “dentre os efeitos da condenação, a perda em favor da União de produto do crime”. Qual crime? De extorsão, conforme a investigação direcionada do delegado que investiga a operação?

Em uma das interceptações telefônicas, um blogueiro em conversa de sacanagem com outro diz que o empresário Mateus havia me dado uma BMW x1, novinha, comprada por R$ 50 mil, o que não é verdade. Um veículo novo desse porte não custa menos de R$ 200 mil.

Nunca pratiquei extorsão a ninguém em lugar nenhum do mundo. Durante 36 anos de jornalismo tenho apenas um registro (BO) feito pelo empresário Ilson Mateus, em 2013, por crime de calúnia, difamação e injúria, nunca por tentativa ou extorsão. Tanto que ele não deu prosseguimento à causa.

Chamado pela advogada do empresário, agora em novembro de 2016, para uma campanha publicitária do grupo Mateus, concordei. Como tenho agência de assessoria, me foi pedido que contratasse os espaços de blogs mais destacados. E foi o que aconteceu. Fui buscar o dinheiro entregue pelo Júnior, filho do Mateus, na casa da advogada. Ali não se tratou de extorsão, como sabem o pai e filho, a advogada e o marido da advogado, o deputado federal José Carlos do PT.

Ora, se fosse extorsão, as “vítimas” poderiam ter filmado tudo e dado parte do jornalista e blogueiro. E por que não o fez? Simples: não teve nenhuma prática ilícita.

Tem uns dois dias que um amigo do empresário me procurou para falar que Ilson Mateus disse a ele que teria sido pressionado em Brasília a falar o que a investigação queria ouvir. E lá ele disse em depoimento que foi forçado a passar dinheiro para blogueiros, o que não é verdade. Uma segunda pessoa, também amigo do empresário, me falou que foi a única saída que ele teve para evitar sair de lá como réu. Se ele disse antes do depoimento, nas preliminares, que comprou silêncio de blogueiros, então ele é o agente ativo da corrupção, o que eu não acredito.

Mas voltamos ao assunto do carro. O veículo foi por mim alugado em dezembro de 2016 da Dias  Rent A Car, de Renato Dias. Aliás, sempre aluguei carros há cinco anos com ele. Como sempre consigo locações pra ele, as minhas ficam mais accessíveis. Foi o caso deste último, onde eu pago uma prestação de R$ 1.970,12 e mais um restante para completar os R$ 3.500,00 do contrato. O carro é de Reginaldo Ferreira Dias, pai e sócio de Renato na locadora.De lá pra cá já paguei algumas prestações e os complementos, como combinado.

Já existem duas parcelas atrasadas e o Banco BMW já informou ao dono que o carro será apreendido judicialmente. Não pude pagar as duas parcelas por ter que alugar um outro carro no valor de R$ 3 mil mensais. Então estou sem condições de pagar dois alugueis. E pelo visto, se o carro for pra União, ela será a responsável pelo restante das 25 parcelas, além de ressarcir ao legítimo proprietário o que ele já gastou, conforme documentação em poder dele.

No dia em que fomos liberados de não ser encarcerados, o delegado que chefia a operação acordou que todos os bens apreendidos seriam liberados naquele mesmo dia. Como o veículo não foi mencionado ao delegado, sem que eu soubesse, acabou ficando lá e os veículos dos outros arrolados foram entregues.

Quando estive na sede da PF, no dia seguinte, para buscar o veículo, o delegado disse na minha presença e do meu advogado que não entregaria mais o carro por eu ter postado meu primeiro encontro com um empresário intermediado por Márcio Jerry, que foi testemunha que nada pedi ao senhor, mas prestei um favor a Jerry, quando Flávio Dino nem era candidato a nada.

Para encerrar esse desabafo longo, a verdade prevalecerá e vai mostrar ao Maranhão que práticas ilícitas não fazem parte do meu dicionário. Quanto ao carro, espero que seja devolvido ao legítimo proprietário e eu não tenha que pagar duas locações.

 

9 comentários em “Mais uma vez o titular do blog é injustiçado; agora pelo MPF-MA”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Glauber

    Porque você não alugou um carro mais barato,ate tudo se resolver? E assim você poderia pagar os dois alugueis.

    Resposta

    Nas grandes locadoras um carro popular, mas com ar condicionado e travas elétricas, custa 6 mil por mês. Nas pequenas, 100 reais a diária.

  2. Julio Pereira

    Cuidado com Titio Dino, ele vai te prender dnovo… kkkkkkkkkk

  3. Joao da elza

    Leva o contrato de aluguel do carro. Se o bem não é seu, não pode ser apreendido.

  4. Sepúlveda

    Tadinho!

  5. Flor

    Por que nao compra um em vez de alugar?

    Resposta

    Simples: acumulo muitos processos e nada posso ter em meu nome.

  6. Fernando

    onde há fumaça há fogo.

  7. CINDY MACEDO

    [email protected] disse (…)

    Luis Cardoso responde – lambe ovinho de governo aqui não tem vez.

  8. Philip

    [email protected] disse (…)

    Luis Cardoso responde – puxador de ovinho de governo aqui não tem vez.

  9. Philip

    UMMM… Cadê a liberdade de expressão? Quer dizer que só funciona quando beneficia a mídia? E cada uma.

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários






  • Enquetes
    Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.
  • Conheça a Creche Escola Luluzinha

  • Contatos

    E-mail: [email protected]
    Telefone: 98 3236-1351
    Celular: 98 8722-6094

    Arquivos

    Posts ordenados por data de publicação.