Publicidade

Luís Cardoso – Bastidores da notícia

Bastidores de notícias de política, judiciário, crime e esportes.

Busca em todo o site

A maior vontade de Flávio Dino é tirar do caminho os que atrapalham sua reeleição, como Roseana Sarney e blogueiros

Política
 

O regime Stalindinista impõe o medo, coloca o pânico a quem estiver atrapalhando seu poder de mando e perpetuação no Maranhão, é hoje uma realidade que assusta políticos, desgraça empresários e fere de morte a liberdade de imprensa e de expressão. O que difere o governador Flávio Dino do seu ídolo comunista Josef Stalin, o maior ditador sanguinário do século XX, é apenas o bigode, mas a pança é a mesma.  

O georgiano Josef Stalin (1878-1953) governou com mão de ferro a União da Repúblicas Socialistas, após o falecimento de Vladimir Lenin. Entre 1936 a 1939, o regime comunista era regido por perseguições, prisões e execuções de milhares de pessoas. A ninguém era dado o direito de criticar ou denunciar o regime Stalinista.
No regime comunista cubano de Fidel Castro (falecido ano passado) as maiores atrocidades foram cometidas nos porões da ditadura, onde milhares foram massacrados e muitos tiveram que fugir do país.
Só para citar mais um país comunista, na China  o Google decidiu encerrar as atividades do serviço de busca  em razão da censura imposta pelo governo chinês à internet. Assim funciona o regime comunista no mundo.

Aqui no Maranhão, desde que assumiu o governo em janeiro de 2015, enganando a maioria dos maranhenses com propostas de mudanças e renovação, Flávio Dino adota o mesmo estilo dos seus ídolos. São fatos concretos as perseguições e restrições das liberdades individuais. Por isso, estamos vivendo a fase de o Grande Terror, um período sombrio do Stalindinismo aqui implantado.

O regime Stalindinista entregou para o Ministério Público denuncias de isenções ou reduções de tributos fiscais que  estariam resultando em prejuízo bilionário ao Maranhão. A ação enérgica do MP e em seguida da Justiça tirou o sono de diversos empresários. Era o início da perseguição que só valeu para a gestão de Roseana Sarney. Esqueceram que os governos de João Castelo, Luis Rocha, Cafeteira, Lobão e Zé Reinaldo sempre adotaram as mesma práticas de isenções ou reduções fiscais para atrair investimentos.

Agora, a vontade do Palácio dos Leões é colocar Roseana Sarney na cadeia. Claro, ela é a única que pode atrapalhar os planos do regime Stalindinista de se perpetuar no poder. Na Assembleia Legislativa, ouço várias queixas contra o governo, mas ninguém tem coragem de desobedecer as ordens palacianas.Como sempre me diz uma deputado: “quem tem o seu…, tem medo”.

Neste momento o governo comunista prepara uma megaoperação para prender  blogueiros que são críticos do seu regime. A operação será deflagrada em conjunto pela Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic) e pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco), aproveitando a recente Operação Turing, da Polícia Federal, onde oito blogueiros foram alvo.

Vejam os senhores que existem gravações de blogueiros ligados ao governo, mas nenhum deles teve pedido de prisão acatada, o que deixa a Polícia Federal incomodada para a apuração completa das investigações.

A vontade de prender os profissionais independentes pode se concretizar sim, mas a sociedade precisa ficar alerta e também reagir se quiser continuar a saber de todas as mazelas  descasos do atual regime comunista no Maranhão.

Manchas de um Governo

Política
 

Denúncias graves e suspeitas de corrupção em setores do Governo Flávio Dino (PCdoB), algumas com repercussão e de alcance nacional, têm manchado a gestão da “mudança”.

São denúncias que vão desde a cobrança de propina, como o emblemático caso da ex-assessora especial do governador, Simone Limeira, meses depois candidata a prefeita pelo PCdoB em Grajaú, e que se estendem ao escândalo do “Aluguel Camarada” e à organização criminosa, segundo a Polícia Federal (PF), liderada por Danilo dos Santos Silva, no Sistema Penitenciário do Estado e que pode ter desviado milhões dos cofres públicos.

De 2015 até aqui também já foram levantadas, principalmente na Assembleia Legislativa, denúncias de superfaturamento na compra de medicamentos para tratamento de câncer, no âmbito da Secretaria de Estado da Saúde (SES); uso da máquina (Programa Mais Asfalto) para interferência direta no resultado das eleições 2016 – o que está sob a análise da Justiça Eleitoral -; além de realização de obra sem processo regular de licitação (a exemplo de praça na Lagoa da Jansen) e de superfaturamento no pagamento de jatinhos.

Em relação a quase todas elas, o Governo sempre adotou dois tipos de postura: tentar desqualificar o denunciante ou silenciar sobre os casos.

A bem da verdade, independentemente da postura articulada, os casos de suspeita de corrupção vão fazendo desmanchar, ou seja, desconstruir, a própria imagem criada pelo marketing de campanha do PCdoB em 2014.

Transparência, moralidade e mudança na administração pública são conceitos que ficaram num discurso apelativo/eleitoral.

Os “diálogos pelo Maranhão”, agora, são outros.

Coluna Estado Maior

Jornal O Estado do Maranhão

Pastor tarado apanha de marido da evangélica

Política
 

Um pastor decidiu paquerar uma mulher que frequentava a igreja a qual ele dirigia. A fiel contou tudo para o marido, então os dois decidiram armar uma armadilha para ele, ela o chamou para ir até a sua casa e alegou que o marido havia viajado.

Quando o tal pastor chegou até a residencia da fiel, deu de cara com o marido que já sabia de tudo. Não demorou muito para que se iniciasse a sessão de pancadarias.

Ele precisa sair correndo para evitar apanhar mais. Vejam:

Homem sofre tentativa de latrocínio e é baleado na cabeça na Avenida Litorânea

Política
 

A vítima Aureliano dos Santos Garcês de 50 anos estava nas proximidades do Restaurante Cabana do Sol, na Avenida Litorânea.

Por volta das 21:30, quando a vtr 16067 do GTM da CPTUR, fazia rondas nas mediações da Avenida Litorânea, a mesma foi informada de que havia acabado de ocorrer uma tentativa de assalto nas proximidades do restaurante Cabana do Sol(Av. Litorânea) e que a vítima havia reagido, e que um dos acusados teria disparado contra a vítima com uma arma de fogo, atingindo a vítima de raspão na cabeça.

De posse das informações e características dos acusados, a equipe do GTM da CPTUR iniciou rondas para capturar os suspeitos.

Quando a vtr 16067 passava pela rua Altamira, avistou um veículo táxi, corsa classic, placa OIT- 6971 em atitude suspeita e decidiu fazer uma abordagem ao referido veículo, ao ser feito a abordagem e revista aos passageiros e motorista do veículo foi encontrado um revólver cal 38 (de numeração NI65221) com duas munições não deflagradas.

Por esse motivo todos os envolvidos foram conduzidos para o Plantão Central para que fossem tomadas as devidas providências.

No DP foi feito contato com a vítima da tentativa de latrocínio que encontrava-se no Hospital Socorrão 1 recebendo atendimento médico, a vítima deslocou-se até a D.P e reconheceu o conduzido Paulo Victor Rafael Cruz como sendo o autor do disparo que atingiu sua cabeça de raspão.

Os conduzidos foram apresentados sem lesões.

Foi apreendido 01 revólver taurus cal. 38 especial (NI65221) com 2 munições não deflagradas, 02 aparelhos celulares, 01 cordão dourado, R$ 40,00 (quarenta reais)

Os conduzidos foram identicados como Paulo Victor Maciel da Cruz de 19 anos (autor do disparo) Rua da Fraternidade, Vila Cruzados, Pedro Lucas de Santana Silva de 16 anos Rua da fraternidade, Vila Cruzados, Mariane Chagas de Sousa de de 22 anos Rua da Assembléia, Cantinho do céu e Jéssica de Jesus Mendes Vilar de 24 anos Rua da Assembléia, Cantinho do céu.

Foi testemunha o taxista José Augusto Almeida Silva.

Assaltante de táxi é preso e baleado quando conduzia motorista na mala

Política
 

Policiais militares evitaram uma provável morte quando dois assaltantes que haviam assaltado um taxista e levavam o motorista na mala do veículo. O fato aconteceu ontem à noite por volta das 23 horas na avenida Guajajaras, próximo ao supermercado Mateus, no São Cristovão. Confira a prisão no vídeo abaixo:

Elevador de condomínio de luxo na Ponta do Farol despenca

Política
 
 
O elevador social de um prédio despencou na manhã deste sábado (25). De acordo com informações preliminares do coronel Célio Roberto, comandante do Corpo de Bombeiros, um cabo teria rompido e o elevador ficou sendo sustentado apenas por um cabo auxiliar. O peso do elevador, que costuma ser de aproximadamente, meia tonelada, se concentrou então no cabo secundário.
 
Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi deslocada imediatamente para o local. Não houve feridos.
 
O comandante confirmou que uma vistoria está sendo feita nesta tarde pelos bombeiros. O trabalho está sendo desenvolvido pelos militares que compõem o Grupamento de Atividades Técnicas (GAT) do Corpo de Bombeiros, a vistoria consiste em averiguar se o equipamento estava com a manutenção em dia, além de checar a documentação que comprova as condições de funcionamento do elevador.
 
A equipe do Batalhão de Busca e Salvamento (BBS) foi acionada por volta de 9:10 da manhã deste sábado (25) para o atendimento de uma ocorrência na Ponta do Farol no Condomínio Varandas de São Marcos.
 
A Viatura Ursa 03 do BBS juntamente com técnicos da empresa Tyffekrupp, responsável pela manutenção do equipamento estiveram no local e constataram que um parafuso se rompeu no 15° andar. Não houve vítimas, apesar do rompimento do parafuso, o freio de emergência do elevador funcionou e amorteceu a queda.

Ministro do Meio Ambiente critica ação do Ibama contra frigoríficos

Política
 
Folha 

Operação encontra gado da JBS em área de desmate

Em mensagem a pecuaristas do sul do Pará, o ministro do Meio Ambiente, Zequinha Sarney (PV-MA), disse que a operação do Ibama contra frigoríficos da região, na terça-feira (21), não ocorreu em “momento oportuno” e que desconhecia a sua realização.

“É até com uma certa tristeza que participo eletronicamente dessa reunião que vocês estão promovendo aí. Não era o momento oportuno, não era o momento adequado para que a gente fizesse essa operação”, afirmou Zequinha na sexta-feira (24), em vídeo ao lado do deputado federal Beto Salame (PP-PA), de Marabá (560 km ao sul de Belém).

O ministro afirmou que, por ter sido feita logo após a operação Carne Fraca, da Polícia Federal, a ação do Ibama “daria a impressão e fragilizaria muito o setor agropecuário, que é um grande exportador e cujo Brasil depende muito do seu vigor (sic)”.

PUBLICIDADE

Batizada de Carne Fria, a operação do Ibama visa coibir o desmatamento na Amazônia e não tem relação com a operação da PF, desatada no último dia 17, que investiga fraudes cometidas por frigoríficos.

Ao todo, o Ibama autuou 15 frigoríficos por comprar cerca de 59 mil cabeças de gado oriundas de áreas embargadas por desmatamento ilegal, num total de 24 propriedades rurais, todas localizadas no Pará e também multadas

Zequinha afirmou que, apesar de o Ibama ser subordinado ao seu ministério, não foi avisado da operação, mas disse que “não sou contra que se façam operações para promover a legalidade”.

A ação incluiu o embargo administrativo de dois frigoríficos da JBS no Pará. A medida obrigaria a empresa a comprovar a origem legal do gado ao Ibama antes de realizar a compra.

Na sexta-feira (24), uma liminar da Justiça Federal suspendeu o embargo, afirmando que que o gado “comprado de forma irregular teria sido uma exceção nas atividades da empresa”.

Em nota à imprensa, a JBS negou que tenha feito compras de gado em fazendas com áreas embargadas.

Defesa de Dilma pede ao TSE que anule depoimentos da Odebrecht  

Política
 

Folha de São Paulo

A ex-presidente Dilma Rousseff pediu ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), por meio de seus advogados, que sejam declarados nulos os depoimentos prestados ao tribunal por nove executivos e ex-executivos da empreiteira Odebrecht.

Fabrice Coffrini/AFP

Ela argumentou que “houve brutal ofensa” ao princípio da ampla defesa, pois não houve tempo hábil para contraditar as acusações da construtora. Afirmou ainda que seus pedidos para a tomada de depoimento de mais de uma dezena de testemunhas, com exceção de uma, foram todos indeferidos pelo ministro relator do caso, Herman Benjamin.

O relator, por exemplo, indeferiu o pedido para que fossem ouvidos os presidentes de oito partidos —os executivos da Odebrecht disseram que o dinheiro de “caixa dois” comprou o apoio de partidos da base aliada, o que a defesa de Dilma nega ter ocorrido.

Os advogados de Dilma também pediram ao TSE que a PGR (Procuradoria Geral da República) seja provocada a abrir uma investigação sobre a campanha presidencial do senador Aécio Neves (PSDB-MG) em 2014 a partir das afirmações dos gestores da Odebrecht.

Defenderam, ainda, que tanto Dilma quando seu ex-vice e atual presidente, Michel Temer (PMDB-SP), têm “‘responsabilidade solidária’ pela veracidade das informações contábeis e financeiras da campanha presidencial”.

“Comprovou-se também que a contracorrente usada pelo candidato Michel Temer destinou-se apenas a ser uma ‘conta de passagem’ do PMDB, destinando à campanha presidencial percentual irrisório de pouco mais de 1% daquilo que foi efetivamente gasto.

Demonstrou-se ainda que a contracorrente em nome da candidata Dilma Rousseff pagou pelas principais despesas destinadas ao então vice-presidente, Michel Temer, como fretamento de jatinho, hospedagem, alimentação, salários dos seus principais auxiliares, material gráfico, palanques, além de todo e qualquer serviço publicitário feito pela equipe de [marqueteiro] João Santana.”

As manifestações constam das alegações finais da petista, de 212 páginas, protocolada pelos seus advogados na noite desta sexta-feira (24) na ação de investigação judicial e eleitoral aberta a pedido do PSDB em 2014.

No documento, os advogados da ex-presidente argumentam que a inclusão da “fase Odebrecht” na investigação, a partir deste mês de março, “violou e ofendeu” o direito à ampla defesa, além de fugir do objeto central pelo qual o caso foi aberto, o que seria uma afronta à lei.

Segundo os advogados, o processo no TSE se dividiu em duas fases, antes e depois dos depoimentos da Odebrecht. A primeira etapa, de dezembro de 2014 ao final de fevereiro de 2017, durou dois anos e três meses para apurar onze acusações feitas ao tribunal pelo PSDB. Nesse período, foram ouvidas 41 testemunhas e realizadas perícias, resultando em 22 volumes. A segunda etapa, segundo a defesa da ex-presidente, começou em 23 de fevereiro passado e acabou no último dia 21, com os depoimentos de onze testemunhas e a realização de duas acareações.

Os advogados defendem que essa segunda etapa deva ser declarada inteiramente nula por dois motivos: as acusações da Odebrecht não constaram da abertura de nenhum dos três procedimentos que deram origem à investigação, o que violaria o princípio do devido processo legal, e o relator não acolheu os pedidos da defesa para garantir as explicações da ex-presidente.

“Houve um verdadeiro atropelo procedimental, com a decisão de oficio, do eminente ministro relator, fundada em ‘vazamentos’ colhidos na mídia escrita, de ouvir novas testemunhas, todos colaboradores premiados do Grupo Odebrecht. […] E mais, sem que o eminente ministro relator tivesse delimitado o novo objeto da lide e o ‘novo libelo acusatório’, oriundo apenas das testemunhas de juízo, e não dos representantes, nem do Ministério Público”, afirmaram os advogados na peça, que é subscrita por Flávio Crocce Caetano, Arnaldo Versiani Leite Soares, Renato Moura Franco e Breno Bergson Santos.

Sobre o conteúdo das acusações feitas tanto antes quanto na fase dos depoimentos da Odebrecht, a defesa de Dilma rechaçou todas as suspeitas de irregularidades na campanha eleitoral. A defesa qualificou os depoimentos da Odebrecht de “falsas acusações” e disse que os executivos, que chamou de “criminosos confessos”, não conseguiram anexar provas suficientes para dar base às suas afirmações.

“Tais depoentes são, em essência, delatores, em colaboração premiada, portanto criminosos confessos e altamente especializados, cujas afirmações são contraditórias entre si e desprovidas de qualquer suporte documental em que se demonstrasse o teor das alegações, nem muito menos a participação dos supostos envolvidos.”

Sobre as acusações, a defesa de Dilma afirmou que as declarações foram muitas vezes “contraditórias entre si”, citando situações “impossíveis”.

Os advogados também rechaçaram a acusação de Marcelo Odebrecht de que Dilma tinha conhecimento de “caixa dois” na campanha presidencial.
“Dilma Rousseff jamais teve qualquer relação de proximidade com Marcelo Odebrecht e nunca fez qualquer reunião em particular com ele, nem tratou de qualquer assunto que tivesse relação direta ou indireta com suas campanhas eleitorais.”

A defesa de Dilma apontou uma suposta contradição no depoimento de Odebrecht. Primeiro ele disse que “nunca sentei com Guido”, em referência ao então ministro da Fazenda, Guido Mantega, mas no final do depoimento, ao responder a uma dúvida de Herman Benjamin, afirmou que “cento e setenta [milhões de reais], cento e setenta e pouco, acertado com Guido”.

Nesse ponto, os advogados de Dilma voltaram a apontar que seu direito à ampla defesa foi afetado por uma decisão de Herman Benjamin de não autorizar a tomada de depoimento de Guido Mantega.

“Entendeu como adequado o ministro relator [Benjamin] colher o depoimento do criminoso confesso Marcelo Odebrecht, em quatro horas de duração, além de mais três horas de acareação em data posterior, mas não teve o mesmo interesse em ouvir o ex-ministro Guido Mantega, nem ao menos por 15 míseros minutos. Evidente a desproporção abissal entre defesa e acusação.”

Procurado pela Folha neste sábado para comentar as afirmações da defesa de Dilma, o ministro não havia sido localizado até o fechamento deste texto.

Motoqueiro Fantasma: bandido ou justiceiro? Ele responde

Política
 

O famoso justiceiro volta a ser pauta nos principais sites do norte e nordeste. Recentemente um acontecimento ocorrido no Pará voltou a trazer a pauta do “Motoqueiro Fantasma”.

Seria ele um justiceiro ou um bandido? O fato é que até agora as informações que se tem é que se trata de um policial que extermina quem se envolve com tráfico de drogas, assaltos e homicídios.

Em julho de 2015 um delegado piauiense negou completamente a existência do tal motoqueiro, porém, populares conseguem caracterizar e identificar as atuações do suposto policial. Sempre quando há mortes em série de criminosos no norte e nordeste já é comum o povo associar como sendo “vítimas” do Motoqueiro Fantasma.

Algumas pessoas já estão identificando que o Motoqueiro Fantasma faz parte é um grupo de policiais, afirmam até que ele tem uma página no Facebook com aproximadamente meio milhão de seguidores e sempre faz postagens polêmicas a respeito de criminosos.

Nas redes sociais, segundo internautas, ele posta vídeos que enaltecem a polícia militar, emite opiniões polêmicas a repeito da pena de morte para os crimes de latrocínio, assaltos, homicídio, tráfico drogas e estelionato. O suposto Motoqueiro é apontado como defensor da redução da menor idade penal e conquista muitos adeptos da opinião: “bandido bom é bandido morto”.

Contudo o Motoqueiro não consegue só despertar a simpatia das pessoas, há muitos que o perseguem e o xingam nas redes sociais. Alguns por defenderem teses políticas contrárias, as dele chegam a deixar subentendido que os menores infratores são vítimas das desigualdades sociais e sequelados.

Ele recentemente foi chamado de covarde por esconder sua real identidade.

“Mexo com bandido de toda espécie, o anonimato é para proteger meus familiares de retaliação da bandidagem. Para os bandidos eu tenho uma .40 e uma 380 lotadas. Mas não dá para está 24 horas com a minha família. Já prendi centenas de armas de fogo, já estourei várias bocas de fumo”, disse o policial.

Ao ser questionado sobre sua intolerância a liberação da maconha e se ele teria preconceitos quanto aos usuários, ele foi bem ríspido: “não me misturo com viciados”, disparou.

Quando foi falado sobre o porquê da preocupação em manter sua identidade oculta ele voltou a falar: “pra bandidos tem a .40. Só que bandidos são covardes e traiçoeiros, meus entes queridos podem correr riscos , nisso que eu penso”, afirmou.

Mas de fato quem será este cidadão? Qual é a opinião da população que está refém da violência a respeito dele? Será um bandido ou um justiceiro?

A única resposta que ele deu a respeito: “ Não sou herói, nem bandido. Sou uma pessoa benevolente, disposta…”

Tornado é registrado na praia do Calhau, em São Luís

Política
 
Na manhã deste sábado (25) foi registrado um acontecimento em São Luís que não é comum no Brasil. Após as fortes chuvas no início do dia, foi formado  um tornado na superfície das águas da praia do Calhau em São Luís. Popularmente este fenômeno é conhecido como tromba-d’água, porém, essa definição é errada de acordo com os cientistas. A maior parte das “trombas-d’água surge a partir de nuvens de tempestade em cima do mar, porém também pode acontecer em cima de rios e grandes lagos.
 
“No Brasil, as trombas-d’água não são muito comuns. No mundo, elas aparecem com freqüência no litoral da Flórida, nos Estados Unidos, onde as condições climáticas favorecem a formação de tornados oceânicos durante o ano todo”, diz outro meteorologista, Wando Celso Maugeri Amorim, da Universidade de São Paulo (USP).
Assista como foi o acontecimento:

Glaucio Alencar, acusado de mandar matar Decio Sá, é solto

Política
 

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informa que o detento Gláucio Alencar, preso na Penitenciária Regional de São Luís, acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Décio Sá, foi solto no fim da manhã deste sábado (25), por determinação do Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

A decisão pela soltura do acusado foi do ministro Ribeiro Dantas, que transferiu Gláucio Alencar para prisão domiciliar, com monitoramento eletrônico (tornozeleira), por julgar inadequada a aplicação do regime disciplinar diferenciado (isolamento), sem que o mesmo tenha cometido infração no sistema prisional.

O Governo do Estado, ressalta, no entanto, que a separação do acusado havia sido mantida, até a presente data, em cumprimento exclusivo ao Art. 84 da Lei de Execuções Penais (LEP), que exige a segregação de internos que tenham sua integridade física, moral ou psicológica ameaçada pela convivência com os demais.

Cuidado com cirurgias bariátricas: Vereador morre após fazer o procedimento

Política
 

Um vereador morreu depois que fez a cirurgia bariátrica, conforme postagem do portal G1. Confira abaixo a matéria:

Vereador Jaime Ferreira morre após fazer cirurgia bariátrica em Goiânia

Parlamentar de Senador Canedo ficou 15 dias em UTI após procedimento.
Ele sofreu parada cardiorrespiratória e não resistiu, segundo assessoria.

Fernanda Borges Do G1 GO

Vereador Jaime Ferreira (PROS) morreu após fazer cirurgia bariátrica (Foto: Reprodução/Facebook)

O vereador de Senador Canedo Jaime Ferreira (PROS), de 28 anos, morreu na noite de sexta-feira (24). De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura da cidade, ele passou por uma cirurgia bariátrica no Hospital Samaritano, em Goiânia, e teve complicações. Após ficar 15 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

O G1 entrou em contato com o Hospital Samaritano, neste sábado (25), mas funcionários informaram que apenas a área administrativa pode falar sobre a morte do vereador. No entanto, não havia ninguém no setor nesta manhã.

O corpo do parlamentar é velado desde a noite de sexta-feira no Colégio Militar Pedro Xavier Teixeira, em Senador Canedo. O enterro está previsto para a tarde deste sábado no Cemitério Municipal da cidade.

Esse era o primeiro mandato de Jaime. Segundo a assessoria da prefeitura, ele foi eleito como suplente do vereador Sérgio Bravo Jr (PROS), que assumiu a Secretaria de Esporte e Lazer. Assim, o parlamentar tomou posse do cargo.

Nascido em São Paulo, Jaime se mudou para Senador Canedo em 2002. Em 2010, começou a dar aulas de biologia e química na escola onde é velado. Mais tarde, ao lado de irmãos, fundou uma rede de escolas na cidade, que mais tarde também passou a contar com uma faculdade e instituto de pós-graduação.





  • Conheça a Creche Escola Luluzinha

  • Contatos

    E-mail: [email protected]
    Telefone: 98 3236-1351
    Celular: 98 8722-6094

    Arquivos

    Posts ordenados por data de publicação.