Publicidade

Luís Cardoso – Bastidores da notícia

Bastidores de notícias de política, judiciário, crime e esportes.

Busca em todo o site

Pabllo Vittar foi muito maltratada e agredida em Santa Inês; precisou sair para ter oportunidades

Política
 

Pabllo Vittar, é maranhense, natural de Santa Inês. Ela conta em várias entrevistas, sempre que é questionada sobre preconceito e discriminação, relembra de sua infância triste em Santa Inês.

Pabllo conta sem pudor, as dificuldades que encontrou aqui no Maranhão para conseguir ser respeitada como pessoa.

“No ensino fundamental foi bem difícil. Eu sofri MUITO”, enfatiza.

Ele conta que na escola municipal de Santa Inês quando estava na fila da merenda, um adolescente jogou sopa quente contra seu rosto. “Na cabeça dele eu tinha que agir como homem, falar com voz de homem, ser homem..” desabafa. Mas a todo momento tenta justificar a atitude de seus agressores pela via do desconhecimento sobre a homossexualidade.

No programa “Encontro com Fátima Bernardes” Pabllo não esqueceu de falar sobre o mesmo assunto, sobre a infância e adolescência difícil que ele enfrentou em Santa Inês do Maranhão. Ela até evita falar o nome da cidade, para evitar polêmicas ou ser mal interpretada.

Abaixo Pabllo conta que a parte da vida em que sofreu foi na infância e adolescência em sua terra natal.

O fato é que Pabllo parece não nutrir boas lembranças de sua terra natal, lugar em que foi humilhada, maltratada e discriminada por muitos, onde tudo que ela fazia era motivo de “zoeira” e críticas.

Foi preciso sair de Santa Inês, sair do Maranhão para conseguir reconhecimento e crescimento. Fora do Maranhão Pabllo conseguiu apoio de celebridades conceituadas como Fernanda Lima, Daniel, Preta Gil, Anitta, dentre outras.

Pabllo conseguiu conquistar o grande e exigente público, fazendo parte de um programa global como Amor e Sexo. Hoje se tornou a drag queen mais famosa do mundo. E, pelo visto, esqueceu que Santa Inês existe.

 

15 comentários em “Pabllo Vittar foi muito maltratada e agredida em Santa Inês; precisou sair para ter oportunidades”

Se quiser fazer uma citação desse artigo no seu site, copie este link

  1. Amo

    Acho Bom mesmo ele ignorar a cidade natal dele.pq o povo é mesmo assim só valoriza quem vem de fora, imagino o qto sofreu.

  2. Élida

    É… infelizmente as pessoas tem que sair da sua terra natal para adquirir alguma coisa pq maranhense tem mania de “babar” pessoas de outros estados.

  3. Eduatdo

    Nada contra a opinião dele (a) só acho que ele (a) nasceu no Maranhão portanto é maranhense não pode esquecer suas raízes

  4. Eduardo

    Nada contra a opinião dele (a) só acho que ele (a) nasceu no Maranhão portanto é maranhense não pode esquecer suas raizes

    Resposta

    Ele não nega ter nascido no Maranhão. Tanto que fala sempre ser maranhense, mas não cita a cidade do interior onde nasceu.

  5. Heraldo Moraes Gouveia

    Verdade pura, aqui no MA o preconceito e a ignorancia é do tamanho da miséria daqui.

  6. Maria Helena

    A cidade natal dele não é Santa Inês, embora fora criado lá, ele é natural de São Luís.

    Resposta

    Quem diz que ele é de Santa Inês é o próprio.

  7. Vando Castro

    Sou de santa ines a mesma cidade dele hj moro em Brasília la tem muita gente boas mais também tem muita a gente q ci acha sai te la nos ano 2000 não são todos mais tem muita gente só pq tem um carro uma casa pensa q pode passa por cima das pessoas

  8. Cristina

    Hipocrisia é uma coisa bem triste mesmo, preconceito existe no Maranhão como existe em qualquer lugar do mundo principalmente do Brasil onde existem vários brucutus de mente fechada. Não é só por ser no Maranhão, ou no interior dele, vejo manchetes de mortes bárbaras principalmente nas grandes metrópoles, como Rio de Janeiro e São Paulo, parem de falso moralismo e de querer remeter a culpa deste comportamento arcaico ao maranhense só por ele ser nordestino, pois isso também é uma forma de preconceito. Se existem muito preconceito aqui no Maranhão? Existe sim, mas não é maior nem menor do que em qualquer outra região mais ou menos favorecida do país.

  9. Cristina

    Hipocrisia é uma coisa bem triste mesmo, preconceito existe no Maranhão como existe em qualquer lugar do mundo principalmente do Brasil onde existem vários “brucutus” de mente fechada. Não é só por ser no Maranhão, ou no interior dele, vejo manchetes de mortes bárbaras principalmente nas grandes metrópoles, como Rio de Janeiro e São Paulo, parem de falso moralismo e de querer remeter a culpa deste comportamento arcaico ao maranhense só por ele ser nordestino, pois isso também é uma forma de preconceito. Se existe muito preconceito aqui no Maranhão? Existe sim, mas não é maior nem menor do que em qualquer outra região mais ou menos favorecida do país

  10. Pamela Maranhão

    Pablo Vittar é apenas a ponta do grande “icerberg” de milhares de pessoas lgbts que sofrem cruelmente a LGBTfobia nesse grande estado. Talvez se tivéssemos gestores que realmente trabalhasem para o bem da sua população teríamos diálogos nas escolas e muitas “PabloS “não levariam sopa quente na cara dos amiguinhos.
    Mais estamos sim na luta pelo um Maranhão Sem LGBTfobia, apesar de sofremos resistência de muitos gestores que não respeitam a laicidade da nação e fazem discursos hipócritas contra pessoas lgbts.

    Pablo Vittar ao contrário de muitos artistas maranhenses nunca negou suas origens, apenas lamenta a falta de respeito sua dos seus conterrâneos e todos sabemos o que é ser gay em um dos piores IDH da nação.

    Ahhh já que alguns falam que Pablo não enaltece o Maranhão após a fama, como era mesmo o nome da cantora maranhense que cantou no evento no Rio (o evento era contra a distribuição dos royaltes do pré sal para os demais estados do Brasil ) será que o povo lembra ?????

    #ArassaPabloVittar👑👑👑

  11. Hahaha

    Olha não sei pq falar mal de Santa Inês como se todo mundo fosse igual, fica se fazendo de vítima pra ganhar apoio moral e ainda por cima denegrindo a imagem da cidade, deixa de mimimi em santa Inês ou em qualquer lugar do Brasil existe o preconceito o que tem que mudar é a sociedade como um todo e aceitar as pessoas como elas sao e deixar de lado esse pensamento tradicional de que mulher tem que ser mulher é homem tem que ser homem.

  12. Armando A Madeira

    O povo se Santa Inês, de fato, não valoriza muito essa turma que eles pensam gostar de agasalhar uma trolha no ‘foquite’ ou gostam de engatar uma “ré no kibe”. Nada a ver, né? Por outro lado, lá pelas bandas de São Bento, o povo, parece, acolhe muito bem esse tipo de prática… dizem que é “evolução”… que são “progressistas”…… Cada cabeça uma sentença, né?

  13. João Carlos

    Acho que não precisamos polemizar. Eu já vi em outras diversas entrevistas ele ter dito que nasceu em Santa Inês. Na própria entrevista à Fátima ele disse que não teve tantos problemas na escola porque era sempre defendido por sua irmã mais velha. Basta ver no youtube os vídeos. No mais, o considero como um dos melhores cantores da atualidade, embora não goste muito do gênero que vem gravando.

  14. Karol

    Ele fala chiando desse jeito por que? kkkkkkkk me poupe!

  15. Maria

    O problema não éh a cidade são as pessoas

Deixe um comentário:

Formulário de Comentários






  • Enquetes
    Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.
  • Conheça a Creche Escola Luluzinha
  • AS MAIS VISTA DA SEMANA

  • Contatos

    E-mail: [email protected]
    Telefone: 98 3236-1351
    Celular: 98 98722-6094

    Arquivos

    Posts ordenados por data de publicação.